segunda-feira, 16 de janeiro de 2017

Janeiro Branco - PROVITA - Palestra Construindo Emoções

A proposta da Campanha nasceu em Uberlândia – MG (2014), por meio da ação de um grupo de psicólogos da cidade. Hoje, Janeiro de 2017, está em sua 4ª edição. Inicialmente promovida por um grupo de psicólogos(as), hoje a campanha tem adesão de psiquiatras, médicos em geral, enfermeiros, entre outros profissionais da área da saúde, profissionais de outras áreas e estudantes que reconhecem a importância do tema e contribuem ricamente com a ampliação da campanha para além dos consultórios a partir de uma visão global e integrativa do indivíduo.
Objetivos da Campanha Janeiro Branco:
Neuroeducadora Suely Pedroso (esquerda)
 Presidente Provita - Fabrícia Karine de Souza (direita)
  • Chamar a atenção de toda a população mundial para questões relacionadas à saúde mental.
  • Promover a conscientização das pessoas sobre a importância de refletir sobre sua saúde mental/saúde emocional, sobre condições emocionais, sobre sua qualidade de vida e sobre a qualidade emocional de suas relações.
  • Encorajar as pessoas a mudarem as suas vidas, quando julgarem necessário.
  • Mostrar às pessoas que elas podem se comprometer com a construção de vidas mais felizes, realizadas e congruentes com os seus próprios valores, sentidos e desejos.

  • A Organização Mundial de Saúde (OMS), está alertando a humanidade quanto ao crescimento descontrolado das taxas de suicídio, depressão e ansiedade em todo o mundo (a cada 40 segundos uma pessoa comete suicídio em um universo de 20 outras tentativas mal sucedidas). Nunca na história da humanidade optou-se tanto por este caminho sem volta. Além disso, a cada dia cresce o número de pessoas, em todas as faixas etárias, insatisfeitas consigo mesmas, com suas vidas pessoais, profissionais e relacionais. Isso se relaciona com um modelo ocidental sócio-econômico de sociabilidade voltado à coisificação da vida, à mercantilização das relações humanas, à alienação das pessoas, à medicalização da vida, entre outros fatores que tem colaborado para a desumanização da própria humanidade.
Por que Janeiro? No mês de dezembro, de forma geral, ocorre com a maioria das pessoas um “balanço” do ano. Pensamos no que vivemos, sentimos, fizemos, no que deu ou não deu certo em nossas vidas. E com a chegada do novo ano, resgatamos nossos sonhos e projetos, passamos a projetar suas execuções e realizações. Esse é um movimento cultural e simbólico que desejamos aproveitar para convidar as pessoas a reflexões sobre as suas vidas e, ainda, empoderá-las no sentido de realizarem as mudanças que desejarem.
Dessa forma, Janeiro é, espontânea e culturalmente, um “mês terapêutico” que nos convida a busca de planejamentos e mudanças em nossas vidas, posicionando-se, no calendário humano, de forma estratégica e como um como ponto de partida, de inícios e reinícios. É o primeiro mês do ano e, de forma simbólica e referencial, pode servir como uma espécie de plataforma a partir da qual qualquer pessoa pode se sentir inspirada e motivada a investir em mais qualidade emocional de existência.
Palestra Construindo Emoções
Neuroeducadora Suely Pedroso
Por que a cor branca? A partir da cor branca, as outras cores podem aparecer, assim como novos projetos podem ser escritos ou (re)escritos, possibilitando novos inícios ou recomeços nas vidas de qualquer pessoa. A cor branca é a cor das telas, telas a partir das quais os artistas criam suas idealizações; é a cor das folhas dos cadernos, a partir das quais as crianças aprendem a escrever (escrevendo e reescrevendo sempre que necessário); é a cor síntese da somatórias dos feixes de luzes das outras cores, simbolizando a perspectiva ecumênica dos projetos e sonhos humanos; e, por fim, é uma cor sagrada para várias tradições religiosas do mundo...

Fonte: https://www.facebook.com/notes/janeiro-branco/saiba-mais-sobre-a-campanha-janeiro-branco/1307479435977779

Nenhum comentário:

Postar um comentário