Orientações aos familiares



ORIENTAÇÕES AOS FAMILIARES

O contato familiar é de grande importância no processo de recuperação do residente. O acompanhamento da família ao residente fortalece seu objetivo em relação a sobriedade, além de estreitar vínculos para que, após o período de residência, o dependente químico em recuperação se sinta realmente seguro e compreendido por aqueles que acompanharam o processo. A família deve buscar conhecimento a cerca da dependência química e recuperação para melhor ajudar o residente e facilitar o diálogo.

Da família:
A família ou responsável deverá participar de grupo de apoio como: Grupo Vidas-Provita, Pastoral da Sobriedade nas Comunidades Católicas, Alcoólicos Anônimos, Narcóticos Anônimos, Amor Exigente, entre outros. (2 PARTICIPAÇÕES MENSAIS)
O residente poderá receber visitas de familiares na entidade após 15 dias da data de internação, tendo o máximo de cinco visitantes por dia de visita.
O dia de visitação segue o calendário pré-determinado, no segundo domingo de cada mês. 
Visitas em outros dias e horários, somente com autorização da equipe terapêutica.
A família é inteiramente responsável pela manutenção e aquisição dos objetivos de uso pessoal dos residentes.
Os utensílios deverão ser entregues ao monitor preferencialmente no dia de visita e em quantidade suficiente para o consumo de um mês.
Na impossibilidade ou urgência de entrega de utensílios, a família ou o residente poderá combinar com a equipe terapêutica.
Não é permitido aos familiares trazer objetos (cartas, objetos de uso pessoal, entre outros) para outros residentes que não seja seu parente, salvo com autorização da equipe terapêutica.
É importante a família evitar trazer objetos que possam ser utilizados em permutas ou cobiçados por outros residentes (valiosos).
Ao chegar na entidade, o visitante deve dirigir-se primeiramente à secretaria, deixando lá os objetos trazidos, identificando-os com etiquetas.
Os objetos serão vistoriados por membros da equipe terapêutica.
Os objetos não permitidos serão devolvidos para a família ou permanecerão na secretaria e devolvidos no desligamento do residente.
A família é responsável por determinar aqueles que poderão vir nas visitações. 
Não é permitida a presença de visitantes nos quartos dos residentes, na cozinha, em lugares isolados (mata), fora do perímetro da sede.
A família é responsável pelo transporte do residente em compromissos pré-agendados anteriores à internação, como consulta médica, dentista, exames, entre outros, ou na impossibilidade, deverá ressarcir o valor gasto no transporte para a instituição. Excetuam-se as URGÊNCIAS/EMERGÊNCIAS.
Não é permitido aos familiares dar carona aos residentes sem autorização da equipe terapêutica.
Cabe ao residente não solicitar carona aos visitantes.
Os familiares podem e devem entrar em contato com a equipe terapêutica para informarem-se sobre o processo terapêutico do residente e também deixar recados.
O residente deve despender atenção apenas aos seus familiares em dias de visita, evitando intromissão em outros assuntos alheios.

 Da comunicação:

O residente poderá receber ligações da família com duração de 10 minutos cada ligação nos  domingos de visita, caso seus familiares não possam se fazer presentes.
Cabe nesse momento o residente solicitar os objetos, utensílios, combinar sua saída para reinserção social, verificar questões da visita familiar, solicitar informações sobre agendamentos, entre outros.
Em caso de urgência/emergência, o residente poderá solicitar a equipe terapêutica que entre em contato com a família.
A equipe terapêutica resguarda-se o direito de acompanhar toda conversa telefônica que julgar necessária.
O residente não poderá valer-se de situações facilitadas, como atividades externas, ida ao posto de saúde, consultas médicas, INSS, retiros, para efetuar ligações.
É permitido o envio e recebimento de correspondências de familiares.
As cartas não serão lidas, porém deverão ser lacradas e abertas na presença de um representante da equipe terapêutica.  
As correspondências deverão ser entregues a qualquer membro da equipe terapêutica para encaminhamento aos seus destinatários e não entregá-las para visitantes ou outros.

VISITAS:

As visitas acontecem uma vez  por mês das 13:00hs às 17:00hs, no Segundo Domingo de cada mês.
Em datas comemorativas, acontecerão das 09:00hs às 17:00hs.
Nas datas em que houver almoço para visitantes na Comunidade Terapêutica, será cobrado um valor pré-determinado pelo mesmo.

NÃO ENTREGAR OBJETOS DIRETAMENTE AOS RESIDENTES!

Na vista, fazemos um café comunitário e, para isso, pedimos que os familiares tragam um prato de doce ou salgado, refrigerantes ou suco, para a partilha. Bem como nas datas que ocorrem o almoço, se assim for possível, pratos salgados.
Deixar as bolsas, celular e outros utensílios desnecessários no carro ou no escritório.
É importante a família evitar trazer objetos que possam ser utilizados em permuta (troca) ou cobiçados por outros residentes, exemplos: CD´s, DVD´s, roupas ou tênis de marca, objetos de ouro, celular, óculos de sol, qualquer tipo de aparelho sonoro, entre outros.
Evitar trazer notícias da vida ativa, exemplo: dívidas com traficantes, “fulano” foi preso, “fulano” também está usando... ou também sobre dificuldades que a família vem encontrando para mantê-lo no tratamento, pois isso os deixa mais ansiosos e muitas vezes com vontade de desistir do tratamento.
É importante os familiares não fazerem todas as vontades dos residentes, analisar o que é prioridade. Cuidar com a MANIPULAÇÃO!

LIGAÇÕES:
Domingo em dias de visita - (47) 9929 6003 (Tim) – No máximo 10 minutos.
Em outros dias, a família pode e deve ligar para falar com a equipe terapêutica para se informarem sobre o residente e também deixar recados.


Responsável Técnica Provita – Dulcemara Bornemann Correa